DIRETORIA - 2020

Presidente:                   Lilian Mara Reis Ferreira

Vice Presidente:          Ângela Maria de Souza babachinas

1º Secretária:               Ariadne Maria Lins Patriota Bomfim

2º Secretária:              Olga dos Santos Nascimento

Tesoureira:                  Meire Garcia Majewski de Oliveira

Conselheiro:                Pb João Marcos Corrêa ferreira

TRABALHO FEMININO da IP do Brasil

 BREVE  HISTÓRICO DO TRABALHO FEMININO

A IP chegou ao Brasil em 1859 com o jovem missionário americano Ashbel Green Simonton e, desde então, encontramos pequenos grupos de mulheres presbiterianas, surgindo cá e lá, para auxiliar no trabalho de cada congregação que ia sendo implantada. A Igreja crescia e se organizava. Ao mesmo tempo, também o trabalho feminino crescia e não demorou muito a organização em Sociedades Femininas, assim denominadas, ou funcionando sob outro título, mas sempre com o desejo de auxiliar cada igreja, cada congregação, consciente de seu papel como parte do Corpo de Cristo.

 

1ª SAF

A primeira Sociedade Feminina da qual se tem notícia e documentos comprobatórios é a do Recife, PE, criada em 11 de novembro de 1884, com o nome de “Associação Evangélica de Senhoras”, e tendo por finalidade realizar estudos bíblicos e arrecadar fundos para auxiliar os necessitados e a Igreja. Sua primeira  Presidente foi a Sra Carolina Smith.

 

2ª SAF

Surgiu logo a seguir, em Rio Claro, SP, no dia 08 de janeiro de 1885, que primeiramente chamou-se Sociedade Boa Esperança, sendo presidida pela senhora Eulália Dagama, esposa do Rev. João Fernandes da Gama. Em1908, a sociedade passa a chamar-se Sociedade Auxiliadora de Senhoras Eulália Dagama. Muitas outras foram se organizando; não havia, porém, contato entre elas. As atividades dependiam somente do espírito de iniciativa das senhoras locais.

Criação de Departamentos (grupos em que se divide a SAF)

Em 1920, a  SAF da IP de Lavras, Sul de Minas, implantou este tipo de atividade. Os departamentos criados foram em número de quatro. Receberam os nomes: Presbitério, Sínodo, Assembléia e Missões. Esses títulos funcionavam em rodízio anual, com o objetivo de instruir todas as senhoras quanto à existência, organização e função de cada trabalho representado pelo respectivo título.

1ª Federação (congregando as SAFs de um Presbitério)

Genoveva Marchant, missionária americana no Brasil por cerca de 50 anos e pedagoga, trabalhou na educação e difusão do evangelho em nosso país. Reconhecendo a necessidade de uma organização mais eficiente, por sua iniciativa formou-se a primeira Federação de Sociedades Auxiliadoras de Senhoras, a do Presbitério Sul de Minas, em maio de 1921, no templo da IP de Lavras. Esta 1ª Federação era composta de 12 SAFs.

 

2ª Federação

A próxima Federação a surgir foi a do Presbitério de Pernambuco, em 1924.

3ª Federação

Em 1925, em Alagoas, organizava-se a Federação do Presbitério Sul de Pernambuco-Alagoas, desdobramento da existente no Presbitério de Pernambuco. Sua 1ª Presidente foi Cecília Rodrigues Siqueira.

Primeiros passos para a expansão a nível nacional

1926 – Neste ano, uma comissão de 100 mulheres compareceu à Assembléia Geral (como era chamado, na época, o Supremo Concílio) reunida em São Sebastião do Paraíso, no Sul de Minas, para pedir a criação de Federações em todos os Presbitérios.  Isto somente vai acontecer de fato em 1928, ocasião em que D. Amélia Kerr Nogueira pronunciou convincente discurso perante a Assembléia, então reunida em Campinas, SP.

Criação dos Círculos Conferenciais e comemoração do Dia Mundial de Oração

Em 1926, a Federação Sul de Minas introduziu estas duas novidades no trabalho feminino; ambas deram tão bons resultados que continuam até hoje, mas tendo sido alterados seus nomes para “Círculos”  e  “Dia de Oração das SAFs do Brasil” (acontece, anualmente, na 1ª sexta-feira do mês de março).

Moto da SAF

 “Sejamos verdadeiras auxiliadoras, Irrepreensíveis na conduta, Incansáveis na luta, Firmes na fé, Vitoriosas por Cristo Jesus.”

©2020 por IPVB. Orgulhosamente criado com Wix.com